Incluir a participação cidadã em pesquisas científicas potencializa o avanço do conhecimento e auxilia na geração de compreensão compartilhada. Quando se trata de fenômenos climáticos perigosos, a capacidade de fornecer alertas precoces de perigo, possibilita que as comunidades em risco adotem ações de proteção e resiliência. Como disse a coordenadora do programa Cemaden Educação (CEdu): “A Ciência Cidadã se torna relevante como uma prática contínua de aprendizagem, proteção da vida e gestão de riscos de desastres”

É com essa premissa que CEdu atua desde 2014. Em diálogo e partilha de experiências com o pesquisador  João Porto de Albuquerque, então professor da USP de São Carlos, que trouxe a dimensão acadêmica com a coleta participativa e a circulação de dados de chuva com órgãos centrais. 

Em 2016, o pesquisador já na Universidade de Warwick, no Reino Unido, envolveu o Cemaden e a Fundação Getúlio Vargas – FGV-SP, além da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, em um projeto de pesquisa internacional que obteve recursos do Belmont Forum ao Dados à Prova D´água, ou em inglês, Waterproofing Data – WPD

O WPD – foi criado com a finalidade de preencher as lacunas de coleta de dados da ciência tradicional e aumentar a compreensão e avaliação dos riscos em nível local, particularmente em áreas com medições escassas. Suas primeiras aplicações públicas e testagens de diferentes metodologias, foram realizadas em 2018, nos Estados do Acre e São Paulo, e Albuquerque propôs o WPD++ no Urban Big Data Center da Universidade de Glasgow, na Escócia, como uma forma de responder às seguintes questões: 

Como gerar referências socioeducativas e transformadoras que potencializem medidas de mitigação e prevenção das mudanças climáticas, além de reduzir a crescente vulnerabilidade? 

Como pessoas vulneráveis podem se tornar poderosas agentes de mudança?

WPD+++ mais uma etapa!

Agora, o Dados à Prova D´água, ou  Waterproofing Data – WPD, recebeu um terceiro sinal em sua sigla: WPD +++ com a expansão na América Latina, o Waterproofing Data – Expansion Latin America – WPD-EX. 

Esta é a nova ação de Educação em Redução de Riscos de Desastres (ERRD), fundamentada em Ciência Cidadã, que envolve 30 escolas do Ensino Fundamental II (últimos anos) e Médio das cinco regiões do Brasil, nos estados do RS, RJ/SP, GO/DF, AM, MA, durante o primeiro semestre de 2024. O projeto, encabeçado pelo pesquisador colombiano Diego Pajarito, é uma iniciativa internacional que conta com pesquisadores/as do Urban Big Data Centre da Universidade de Glasgow – UK em parceria com Programa Cemaden Educação (Cemaden/MCTI), o Instituto Geográfico e a Universidade Nacional da Colômbia. Com ele, a experiência realizada no Brasil passa a ser replicada em escolas e comunidades da Colômbia.

Na semana de 8 de abril, a coordenadora do Programa Cemaden Educação, Rachel Trajber, esteve na Colômbia para reuniões com pesquisadores/as e também com escolas e comunidades interessadas em ingressar na rede de monitoramento de dados participativos. 

A coordenadora do programa Cemaden Educação, Rachel Trajber, em diálogo com escola de Manizales, na Colômbia.

A primeira reunião aconteceu na Universidade Nacional da Colômbia, campus Manizales, localizado na Cordilheira dos Andes. Além da incidência de desastres semelhantes aos brasileiros, a região possui ainda um vulcão em atividade e terremotos. Em seguida, Trajber esteve no Instituto de Geografia da Colômbia e na Universidade distrital, em Bogotá, em diversas reuniões e troca de experiências e interagiu com escolas nas duas cidades colombianas: “o nosso trabalho é chegar no chão das escolas e comunidades”, explicou. 

A partir das visitas, se fortaleceu a ideia de promover o intercâmbio entre escolas públicas brasileiras e colombianas no WPD +++. A escola de Manizales iniciou um diálogo com escolas de Manaus-AM e de Erechim-RS e a de Bogotá, conversa com a escola de Petrópolis – RJ e uma de Erechim-RS, esta última possui alunos/as imigrantes da Venezuela, que estão entusiasmados/as para conversar em seu idioma. 

A expansão do WPD+++ na América Latina enriquece o diálogo! E o trabalho, a partir da dimensão participativa da Ciência Cidadã nas escolas, oportuniza que pessoas de diferentes países possam interagir para serem transformadoras. Para saber mais detalhes, acesse aqui.

Participe dos encontros abertos do WPD+++

O segundo encontro de Formação de Polinizadores Locais do Projeto Dados à Prova d’Água (WPD+++) será no dia 4 de maio, a partir das 9h  (horário de Brasília) por videoconferência. Para acompanhar, clique aqui.

O encontro final desta edição do projeto acontece no dia 22 de junho.

Fiquem atento/as para mais informações em breve!