Módulo: Monitoramento

Tags: deslizamento, ciência cidadã, monitoramento, solo, área de risco, desastre socioambiental

Movimento de massa (deslizamento, escorregamento, ruptura de talude, queda de barreiras/blocos/rochas), é o movimento de descida de solos e rochas que sofrem o efeito da gravidade e, muitas vezes, potencializado pela ação da água. De acordo com as Nações Unidas, os movimentos de massa são um dos fenômenos naturais que causam maior impacto financeiro e mortes no mundo. 

Considerando os mecanismos específicos e os diferentes materiais envolvidos, os movimentos de massa são classificados em quatro tipos principais: (i) quedas/tombamentos/rolamentos; (ii) deslizamentos/escorregamentos; (iii) fluxo de detritos e lama; e (iv) subsidência e colapsos. 

O Brasil é considerado muito suscetível aos movimentos de massa devido às condições climáticas marcadas por verões de chuvas intensas em regiões de grandes maciços montanhosos. Nos centros urbanos os movimentos de massa têm tomado proporções catastróficas devido principalmente a atividades humanas como cortes em talude, aterros, depósitos de lixo, modificações na drenagem, desmatamentos, entre outras, têm aumentado a suscetibilidade das encostas para a formação desses processos. Essa condição é agravada, principalmente, quando ocorrem ocupações irregulares, sem a infraestrutura adequada, em áreas de relevo íngreme.

Quando estes movimentos acontecem em locais onde ocorre a ocupação humana os resultados podem ser desastrosos. Em uma situação de deslizamento, casas inteiras, rodovias e tudo o que estiver no caminho pode ser levado encosta abaixo ou acabar soterrado. O problema é que na maioria das vezes a situação poderia ser evitada.

Como os deslizamentos constituem o principal tipo de movimento de massa monitorado e alertado pelo Cemaden, vamos aprofundar seu estudo nesta sugestão de atividade. Por essa razão, várias vezes utilizamos os termos movimento de massa, deslizamento de terra, ou deslizamento de encosta como sinônimos.

Esta atividade se propõe a desvelar como acontecem os movimentos de massa e atuar na prevenção/redução de riscos de desastres em sua comunidade. 

A proposta é de contribuir para a redução de riscos de deslizamentos/escorregamentos de encostas por meio de dois tipos de exercícios em que os estudantes se tornam pesquisadores/pesquisadoras e detetives:

 Pesquisa de ciências, social e, de linguagens:

  • Pesquisa de ciências - participam de experimentos práticos em ciências que ampliam a compreensão do fenômeno geológico para demonstrar os  possíveis potencializadores de movimentos de massas em cada local;
  • Pesquisa social e de linguagens - abordagens sociais e de linguagens com o tema desastres socioambientais, com foco em deslizamento de encostas. Pesquisas de memórias, percepções em meios de comunicação, publicações, literatura, poesia, vídeos, entrevistas e outras formas de expressão.

 Detetives de sinais e de monitoramento:

  • Detetives de sinais - observação da paisagem a partir da percepção de sinais (visuais, táteis, fotográficos);
  • Detetives de monitoramento - monitoramento, coleta e comparação de dados de chuvas (com o uso de pluviômetros), umidade do solo e até processos de mudanças na paisagem.

As diferentes formas de compreensão, observação e monitoramento constante do local onde se encontra a comunidade escolar são propostas em função da prevenção de riscos de desastres. As abordagens combinadas contribuem para proteção das comunidades diante da possibilidade da ocorrência de movimento de massa. Em contato constante com a Defesa Civil do município e o Cemaden, o monitoramento local contribuirá para a realização de intervenções preventivas e a preparação das comunidades vulneráveis. 

  • Quais elementos colaboram para a ocorrência do deslizamento?
  • Quais os mecanismos específicos envolvidos nos movimentos de massa?
  • Por que nos centros urbanos os movimentos de massa tomam proporções catastróficas?
  • Aprender a interpretar sinais, elementos, fenômenos e impactos ligados a movimentos de massa para a prevenção de desastres junto com as comunidades escolares;
  • Coletar dados hidro-meteorológicos (hidro = água, meteoro = relacionado ao céu e logia = estudo), físicos e de uso e ocupação do solo relevantes para o monitoramento de riscos de deslizamentos de encostas;
  • Participar da Rede de prevenção de riscos de desastres e proteção das comunidades do Cemaden Educação a partir de metodologias ativas como aprendizagem significativa, iniciação científica e ciência cidadã.

Português: Atividades linguísticas e discursivas com o tema desastres socioambientais, deslizamento de encostas. Pesquisa de ocorrências de movimento de massa em meios de comunicação, publicações de difusão científica, literatura e outras formas discursivas. Trabalho com educomunicação.

Matemática: Noções de medição, uso de instrumentais matemáticos em procedimentos de quantificação e análise. Elaboração e interpretação de gráficos e tabelas, resolução de problemas.

História: Analisar os processos de formação histórica dos desastres, relacionando-os às práticas dos diferentes grupos, agentes sociais, bem como da organização política e econômica da sociedade. Identificar os instrumentos para ordenar os eventos históricos, relacionando-os a fatores geográficos, econômicos, políticos e culturais. Identificar, a partir de mapas, fenômenos e desastres histórico-sociais, considerando suas dimensões temporais e espaciais.

Química: Elementos químicos presentes no solo. Tipos de solos e suas relações com a água. Conversão de escalas e unidades de medidas e apresentação dos dados. Relacionar as massas moleculares de reagentes e produtos, e as massas mensuráveis (gramas, quilogramas, toneladas) dessas substância.

Física: Conversão de escalas e unidades de medidas. Lei da gravidade. Relação entre as leis de Newton e as leis de ciência de solos, dinâmica dos fluidos e a conservação da energia mecânica. Análise dos locais com descarte inadequado de resíduos sólidos. Identificar movimentos que se realizam no dia a dia e as grandezas relevantes que os caracterizam.

Geografia: Identificar e descrever, nas paisagens, os elementos mais duráveis e os mais suscetíveis a mudanças na temporalidade humana. Noções de geologia e formação dos solos. Associar padrões de desenvolvimento econômico e social à prevenção de riscos. Classificar as diferentes manifestações do relevo terrestre considerando as forças que atuam no planeta. Selecionar, organizar, relacionar e interpretar dados e informações, representados de diferentes formas, para tomar decisões com vistas à prevenção de situações de risco. Vulnerabilidade socioambiental. 

Biologia: Ciclos biogeoquímicos. Relação entre as atividades econômicas e as alterações nos ecossistemas. Inferir sobre o nível de desenvolvimento e de saúde de regiões brasileiras com base em suas respectivas condições de acesso a saneamento básico. Analisar criticamente a relação humana com o meio ambiente, em situações concretas, reconhecendo a espécie humana como parte integrante de um processo no qual ela modifica e é modificada pelo ambiente em que vive.

Algumas atividades precisam de materiais simples e fáceis de serem encontrados. Os materiais estão listados em cada exercício. 

Atividade de manutenção permanente.

Os exercícios em três níveis podem ser feitos a critério das atividades planejadas pelas professoras e professores.

Os resultados obtidos nas atividades podem ser divulgados no site do Cemaden Educação!

Os professores, juntamente com diretores e coordenadores podem cadastrar a unidade escolar, seguindo os passos a seguir:

No site do Cemaden Educação , no canto superior direito clique em ACESSAR  e faça o cadastro da instituição.

Após o cadastro, cada unidade pode disponibilizar os trabalhos desenvolvidos.

Esta atividade se propõe a desvelar como acontecem os deslizamentos de encostas e, a partir do conhecimento popular e científico, possibilitar uma atuação mais eficaz na prevenção/redução de riscos de desastres em cada comunidade.

A regularidade da observação é fundamental para o monitoramento e a tomada de ações de proteção da vida em caso de desastres. Essa atividade se relaciona diretamente com a atividade Pluviômetros: monitoramento e alertas de chuvas .

A atividade A Terra Desliza contém exercícios abertos e variados, voltados para as vivências dos estudantes, propostos em três eixos: observação de sinais, experimentos e monitoramento.

Muitas das atividades propostas podem e devem ser trabalhadas com a Defesa Civil do seu município.

Sugestão do que pode ser avaliado nesta atividade de pesquisa. No entanto, cada professor deverá utilizar seus critérios e procedimentos próprios.

  • Avaliar habilidades de identificar, analisar e monitorar sinais de movimento de massa apresentados na paisagem, para a prevenção de deslizamento de terra na comunidade. 
  • Avaliação processual e contínua: como o/a estudante aprende a coletar e interpretar dados de forma sistemática, e a realizar o monitoramento. Identificar os avanços e as dificuldades expressas por cada um para a realização das atividades.

Proposta de atividade: Dra. Rachel Trajber, Dr. Márcio Andrade, Dra. Maria Francisca Azeredo Velloso, Dra. Carla Graciotto, Dra. Débora Olivato.

Coordenação: Dra. Rachel Trajber, pesquisadora e coordenadora do Programa Cemaden Educação.

Colaboradores Cemaden: Dr.Daniel Metodiev, Dra. Marisa Mascarenhas.

Colaboradores Externos:

Professora Camara Apolinário

Professor Rafael Afonso Pellegrini de Almeida Lucas 

Escolas Piloto:

Escola Estadual Professora Maria Helena Duarte Caetano - Cubatão/SP

Escola Estadual Deputado Emílio Justo - Santos/SP

Agradecimentos:

CNPq

Projeto RedeGeo - Cemaden/MCTI

Instituto Geológico de São Paulo

Pedro Carignato Basilio Leal  IG - SP

Escola Estadual Profa. Florentina Martins Sanchez - Ubatuba SP

Professores da Escola Estadual Dr. Eduardo Corrêa da Costa Jr. - Caraguatatuba SP

 

 

i.Pesquise em jornais locais sobre os deslizamentos de encostas que ocorreram em sua região.

ii.Observe fotografias e imagens dos deslizamentos que ocorreram em seu município. Com a ajuda das explicações do texto sobre Movimento de Massa (link), verifique quais tipos de deslizamentos ocorrem ou ocorreram em seu município.

iii. Use os dados e informações obtidos para construir uma linha do tempo com datas e impactos. E compartilhe os resultados desse trabalho com o Cemaden Educação.

i. Assista “Deslizamento: fatores que ocasionam os movimentos de massa no solopara começar a pensar sobre as possíveis causas de desmoronamentos.

Este é um vídeo feito em uma Oficina de Stopmotion por crianças de 3ª a 5ª séries na Escola Municipal Maestro Roberto Pereira Panico (Londrina, PR). A oficina foi realizada pelo Programa WASH, em parceria com o programa Cemaden Educação.

ii. Existem alguns fatores que ocasionam ou potencializam deslizamentos: talude de corte, descarte indevido de água servida, descarte indevido de lixo, bananeirasVocê pode pesquisar e coletar imagens de deslizamentos registradas em diversas fontes (moradores, jornais locais ou Internet, entre outras)

iii. Crie uma apresentação em powerpoint com os dados, imagens e explicações levantados sobre os riscos em seu município. Na apresentação, atente para que, sob cada imagem, constar a referência e as causas que podem ter gerado esses deslizamentos.


Dica: Inspire-se também no texto orientador sobre Movimento de Massa e no vídeo educacional sobre deslizamentos  

Experimento

Material necessário: 2 esponjas de diferentes estruturas, com poros de tamanhos diferentes (conforme ilustração)

                                 2 pratos

                                 Água

i.Coloque a mesma quantidade de água nos dois pratos e depois coloque uma esponja em cada prato.

ii.As esponjas retiveram a mesma quantidade de água?

iii.Complete a frase, da forma correta: como os solos e as esponjas absorvem água baseado na Figura abaixo. 

  A esponja amarela, com poros menores representa o solo _________ e a esponja azul, com os poros maiores, o solo ___________. 


iv.  Responda: por que isso acontece? Não esqueça de anotar as suas reflexões.

Experimento

Material necessário: balança

                                 3 frascos idênticos

                                 água

                                 3 tipos de grãos de areias diferentes (por exemplo: pedrisco, areia fina, areia grossa)

i.Pese os frascos (vazios) e anote os valores encontrados.

ii.Em cada frasco, complete até a metade com um tipo de solo e pese novamente.

iii. Faça a seguinte subtração: (peso do frasco com o solo) - (peso do frasco vazio) = você obterá o peso do solo disposto em cada frasco.

iv. Adicione água até cobrir os três frascos e pese novamente (lembre-se de desprezar o peso do frasco).

Observação: perceba que o solo saturado, que não suporta mais água, continua ocupando o mesmo volume, mesmo com pesos diferentes!

v. Responda à questão: em qual dos solos testados, você acha que existem maiores espaços com ar?

Para ajudar a responder essa questão, assista o vídeo sobre infiltração de água de água no solo

Quais são os sinais que preciso observar para saber se em um determinado local está ocorrendo movimento de massa? 

i.Observe a imagem, pesquise em outras fontes para aprofundar os sinais de movimentos de massa.

ii.Construa um mural com os fatores que indicam o perigo de  ocorrência de movimentos de massa para expor na escola.

iii. Indique, em seu mural, quais sinais de perigo podem ser observados no entorno de sua escola, comunidade ou no seu  município.