Cemaden Educação

Rede de escolas e comunidades na prevenção de riscos de desastres

Aprender a viver é o objeto da educacão, e essa aprendizagem necessita transformar a informacão em conhecimento, os conhecimentos em saberes (sabedoria e ciência) e incorporar a sabedoria na vida.

Edgar Morin

O Cemaden Educação - implantado, em 2014 pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Cemaden/MCTI) - atua junto às escolas de Ensino Médio localizadas em municípios vulneráveis a desastres socioambientais. Atualmente encontra-se em fase piloto de execução.

O Cemaden Educação tem como objetivo contribuir para a geração de uma cultura da percepção de riscos de desastres, no amplo contexto da educação ambiental e da construção de sociedades sustentáveis e resilientes.

Metáfora: cada escola participante se torna um Cemaden micro-local, um espaço para realizar pesquisas, monitorar o tempo e o clima, compartilhar conhecimentos, entender e emitir alertas de desastres. Além de fazer a gestão participativa de intervenções com suas comunidades.

Trata-se da utilização criativa das novas tecnologias de informação e comunicação em três eixos complementares:

  • Ciência cidadã, pesquisa, coleta de dados locais, análise e disponibilização de resultados em rede;
  • Compartilhamento de informações, por meio de um sistema colaborativo (crowdsourcing) entre as escolas participantes e demais atores sociais via site e aplicativo de celular;
  • Com-VidAção - Comissão de Prevenção de Desastres e Proteção da Vida, envolvendo escola, comunidade, defesa civil entre outros atores sociais para a gestão participativa de intervenções na comunidade.

O projeto amplia para a educação formal o Programa Pluviômetros nas Comunidades. Em 2014-2015 realizou-se a fase piloto para criação e testagem dos materiais pedagógicos em três escolas públicas de Ensino Médio nos municípios de Cunha, São Luiz do Paraitinga e Ubatuba (SP), e em parceria com a UNESP SJC. Em 2015 iniciou o trabalho com escolas do Estado do Acre. Tem lançamento e expansão previstos para 2016-2017.

Palestra da Dra. Rachel Trajber

Créditos: Vídeo gravado como parte do projeto Proex UNESP - Instituto de Ciência e Tecnologia, Engenharia Ambiental, São José dos Campos, abril 2014.

O Cemaden Educação é reconhecido como prática inspiradora pela Convenção – Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC, em inglês). O projeto foi indicado como referência de boas práticas a ser implementada na formação e sensibilização de Educação em nível nacional.

A publicação da UNFCCC relaciona o projeto Cemaden Educação ao Artigo 6º da Convenção, que destaca a necessidade da execução de programas de educação e a participação pública no tratamento da mudança do clima e prevenção de desastres naturais.

  • Créditos:

      • Carlos Nobre – Idealizador;
      • Regina Célia dos Santos Alvalá - Supervisora Geral.
    • Realização:

      • Rachel Trajber - Coordenadora geral, Concepção, Pesquisa e Edição;
      • Victor Marchezini - Assistente de Coordenação;
      • Débora Olivato – Conteúdo Técnico, Pesquisa e Redação;
      • Fernando de Oliveira Pereira – Coordenador de TI, Programação e Implantação;
      • André Aparecido de Souza Ivo – Programação e Implantação;
      • Claudinei de Camargo – Webdesigner;
      • Andrea Eliza de Oliveira Luz – Programação, Suporte e Operação.
    • Pluviômetros nas Comunidades:

      • Patrícia Mie Matsuo - Campanha;
      • Carolina Tosetto Pimentel;
      • Fernanda Aguiar;
      • Silvia Midori Saito;
      • Marisa Pulice Mascarenhas.
  • Colaboradores do Cemaden:

    • Ana Gabriela Araujo, Carlos Frederico de Angelis, Conrado de Moraes Rudorff, Damaris de Mello Araujo, Danilo Zigrossi, Éber José dos Santos, Eduardo Fávero Pacheco da Luz, Giovanni Dolif Neto, João Victor Cal Garcia, Leonardo Bacelar Lima Santos, Luciana de Resende Londe, Luiz Valério Carvalho, Marcio Augusto Ernesto de Moraes, Maria Rita Fonseca, Maria Rosário Aparecida Orquiza, Marlon da Silva, Mosefran Barbosa Macedo Firmino, Olívio B. do Sacramento Neto, Renato Santos Lacerda, Raiana Araujo, Selma Regina Simões Santos, Selma Silva Leite Flores, Sheila Santana de Barros Brito, Vinicius Battagello,Vivian Barbosa,Viviana Aguilar Muñoz.
  • Colaboradores externos:

    • Allan Iwama, Profa. Analice Barbosa (Secretaria Municipal Educação de Lorena), Antonio Carlos Varela Saraiva (UNESP SJC), Andressa Nalu (UNESP SJC), Prof. Daniel Messias dos Santos, Prof. Euclides Luiz Vigneron, Fred (Unesp), Laura Valente de Macedo (WRI), Liliam Medeiros (UNESP SJC), Luana Pampuch (UNESP SJC),Prof. Mércio Fabricio, Profa. Shirley Monteiro, Suzana Lopes Salgado Ribeiro (UNITAU), Rachel Biderman (WRI), Rayssa (UNESP SJC), Rene Novaes (INPE, UNITAU), Rogério Negri (UNESP SJC), Tatiana Sussel Mendes (UNESP SJC), Wagner Kamiwada (UNESP-SJC).
  • Agradecimentos:

      • Engenharia Ambiental UNESP – SJC - PROEX 2017 e 2015;
      • Acre - Instituto de Mudanças Climáticas do Acre (IMC) – Dra. Vera Reis; SEDUC - Cleide , Escolas de Rio Branco, Xapuri e Brasiléia;
      • SEDUC de São Paulo;
      • RED / UFF - Universidade Federal Fluminense, Angra dos Reis - Anderson Mululo Sato e Paulo Vaitsman Leal.
      • Projeto Piloto:

        • São Luiz do Paraitinga - EE Monsenhor Ignácio Gióia, Defesa Civil Sr. José Carlos e Núcleo Santa Virgínia – João Paulo Villani;
        • Cunha - EE Paulo Virgínio – Profª Shirlei Monteiro;
        • Ubatuba - EE Profª Maria Alice Alves Pereira;
        • Caçapava - EE Doutor Pereira de Mattos;
        • São José dos Campos - EE Profa. Ilza Irma Moeller Coppio;
        • Lorena - Escolas municipais.