Escolas abordam desigualdades e vulnerabilidades na Semana de Ciência e Tecnologia no Vale do Paraíba

24/10/2018 10:43:38

Tags: educação, boas práticas


Créditos:ASCOM/Cemaden

Mostra científica, apresentações culturais e de vídeos – abordando a temática sobre desigualdades sociais e de vulnerabilidades de risco de desastre – foram as atividades realizadas na tarde de 18/10, em São José dos Campos, reunindo cerca de 450 participantes de 38 instituições da região do Vale do Paraíba. A programação regional fez parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT-2018), promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que ocorre, anualmente, em todo o território nacional.

O evento aconteceu em São José dos Campos (SP),  organizado pelo Cemaden Educação – projeto do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden)- em parceria com diversas instituições de ciência, tecnologia, educação e cultura da região. Participaram estudantes de escolas públicas municipais e estaduais, professores, pesquisadores, universidades, Defesas Civis e instituições parceiras. O Sarau Ciência & Arte e a Mostra Científica relacionaram a redução de risco de desastres e vulnerabilidade da população com  o tema da SNCT em nível nacional “Ciência para Redução das Desigualdades”.

A coordenadora de Relações Institucionais e diretora substituta do Cemaden, Regina Alvalá, destacou que o tema da SNCT deste ano está relacionado à Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), com diretrizes de ações para o desenvolvimento sustentável. Lembrou que, nessa agenda, está prevista, inclusive, objetivos sobre construção de infraestrutura de resiliência e o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, entre outros temas relacionados ao meio ambiente e vulnerabilidades sociais. “A discussão mundial aponta que as vulnerabilidades estão associadas a desigualdades sociais e aos riscos de desastres. Por isso, os temas dos trabalhos científicos e das atividades culturais da SNCT estão no contexto da Agenda 2030.”, afirma Regina Alvalá.

Intercâmbio de conhecimentos científicos entre escolas e instituições

As atividades da SNCT no Vale do Paraíba reuniram, no Parque Vicentina Aranha, em São José dos Campos, 21 escolas municipais e estaduais dos municípios de São José dos Campos, Caçapava, São Luiz do Paraitinga, Campos do Jordão, Atibaia, Cunha, Paraibuna, São Bento do Sapucaí, Caraguatatuba e Ubatuba. Também participaram as universidades da região (Unesp, Unifesp e Fatec), duas instituições estaduais de pesquisa, e Defesas Civis de São José dos Campos, Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí, São Paulo e Guarulhos.

“O evento permitiu um grande encontro de todas essas instituições, com foco na redução de desigualdades e de desastres socioambientais. Essas parcerias são muito empoderadoras, fortalecendo, dessa forma, as ações participativas para mudanças sociais.”, enfatiza a coordenadora do Cemaden Educação, Rachel Trajber.

Os estudantes das escolas e instituições consideraram importante a participação no evento, como oportunidade de mostrar os resultados dos trabalhos e pesquisa em um espaço amplo e agradável do parque. Também, destacaram a troca de experiências, de conhecimentos e o estabelecimento de novas parcerias.

Mapeamento das chuvas nas bacias hidrográficas- A Escola Municipal Tancredo Neves, de Ubatuba (litoral de São Paulo), mostrou o trabalho “Mapeamento das chuvas nas bacias hidrográficas do município de Ubatuba”, utilizando informações de pluviômetros automáticos e de pluviômetros artesanais, fabricados pelos estudantes utilizando garrafas PET. “As chuvas intensas no município são preocupação constante. Para nós, estudantes, foi uma experiência importante utilizar os conhecimentos de gráficos no monitoramento das chuvas, principalmente, para ajudar os agricultores locais.”, destaca Cauã Mota, de 15 anos, do 1º ano de Contabilidade. “Fomos convidados para apresentar nosso trabalho em outra escola. Ficamos felizes e mais incentivados para continuar a pesquisa.”, afirma a estudante de 15 anos, Ana Júlia Tavares, também 1º ano de Contabilidade. “Sentimos orgulho pelo reconhecimento do trabalho de pesquisa. Recebemos o convite para parceria, feito pela professora da escola do município vizinho ao nosso.”, diz a estudante Nicole Lopes.

Sustentabilidade e não desperdício de alimentos – Os estudantes do ensino médio da Escola Estadual Profª  Dirce Elias, localizada no Bairro Freitas –  onde há moradias em áreas vulneráveis a risco de inundações e deslizamentos, em São José dos Campos – trabalharam a temática “Sustentabilidade”. Apresentaram o projeto desenvolvido para o aproveitamento de alimentos como talos, sementes e cascas. “Trabalhamos com a conscientização  e receitas sobre o aproveitamento dos alimentos, primeiro para a comunidade escolar. Depois levamos até a comunidade do bairro.”, informa a aluna Milena Andrade, do 1º ano do ensino médio. “É uma corrente do bem contra o desperdício.”, destaca Lucas Rodrigues, de 16 anos do 2º ano. “Expondo aqui na SNCT, estamos tendo a oportunidade de divulgar nosso trabalho e de aprender com outros projetos e outras instituições.”, afirma Lana Nogueira, 16 anos, cursando o 2º ano.  A professora de Geografia, Rosilene Clemente, uma das orientadoras do trabalho, destacou a importância do projeto no bairro: “A maioria no bairro sofre com as desigualdades sociais. O projeto envolveu a família dos estudantes e a comunidade local. Ajudou tanto na parte da nutrição e saúde, como na parte financeira, na despesa com alimentação’.

Prevenção e monitoramento de queimadas – Para a aluna Yasmin Santos, de 16 anos, cursando o 2º ano do ensino médio da Escola Estadual Major Juvenal Alvim, do município de Atibaia, o desenvolvimento da pesquisa “Estação de Prevenção, Controle e Monitoramento de Queimadas na trilha de Pedra Grande”  foi além do conhecimento e da preocupação dos efeitos dos incêndios para as nascentes dos rios. “Para a elaboração do projeto , utilizamos bases de conhecimentos de Física e de Engenharia. Além disso, realizamos diversos contatos com instituições da área ambiental. Tudo isso permitiu minha definição de carreira profissional.”, afirma a estudante e completou:  “Vou cursar  Engenharia Florestal e posso dizer que o projeto de pesquisa mudou minha vida.” Sua colega de sala e de pesquisa, Sthephanie Rafaela Cruz, de 17 anos, também expressou entusiasmo e satisfação pela apresentação do trabalho científico na SNCT, oportunidade de divulgação na Imprensa local (foram entrevistadas) e pela oportunidade de conhecer outros projetos.  “Nosso projeto de monitoramento de queimadas, na próxima fase, contará com a implantação de uma câmera no mirante da cidade e de sensores de temperatura e umidade no solo, para o apoio no monitoramento de possíveis focos de incêndios. O projeto envolverá diversas instituições.” , anuncia a estudante.

Trabalhos de redução de riscos de desastres – A Escola Estadual Prof. Ilza Irma Moeller Coppio, de São José dos Campos, inscreveu oito trabalhos de iniciação científica  ligados às temáticas da Educação em Redução de Riscos de Desastres (ERRD)  e da SNCT. Destacam-se em relação a ERRD: o experimento com arduíno ( instrumento com programação digital) para Alerta de Chuva na SP-50 (estrada que liga SJC à Monteiro Lobato); Cartografia Social na redução de riscos de desastres socioambientais e o Protagonismo Juvenil.

Preservação do Patrimônio Histórico em áreas de risco de desastres– O município de São Luiz do Paraitinga foi representado pelo trabalho científico para conclusão de curso de alunos do 3º ano do ensino médio, da Escola Estadual Monsenhor Ignácio Gióia. O orientador do projeto e professor de História, Daniel Messias dos Santos, destacou a importância de abrir discussões para essa temática. “ Preservar o patrimônio e a identidade cultural do passado e prevenir no presente sobre o risco de desastre são questões que devem entrar nas discussões da sociedade.”, afirma o professor e quem coordenou e apoiou as atividades do Cemaden Educação no município, implantando a disseminação da ciência e redução do risco de desastre nessa escola. A escola foi uma das três da região do Vale do Paraíba que entrou como projeto piloto do Cemaden Educação ( outras duas  escola-piloto foram nos municípios de Cunha e de Ubatuba, no Estado de São Paulo) desde 1994.

Promotores da SNCT no Vale do Paraíba

As instituições promotoras da SNCT- 2018 do Vale do Paraíba são: Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden), Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (ICT- Unesp), Secretaria de Educação e Cidadania de São José dos Campos, Associação para o Fomento de Arte e Cultura (AFAC) do Parque Vicentina Aranha, Projeto Ciência no Parque, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Instituto Florestal de São Paulo, Visiona Tecnologia Espacial, e Sociedade de Especialistas Latino-Americanos em Sensoriamento Remoto (Selper Brasil).

Veja a matéria com as fotos no site do Cemaden http://www.cemaden.gov.br/escolas-abordam-desigualdades-e-vulnerabilidades-na-semana-de-ciencia-e-tecnologia-no-vale-do-paraiba/

( Fonte: Ascom/Cemaden)